DR. EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

Resumo da Tese

A computação distribuída em ambientes físicos modifica como o computador é utilizado, possibilitando uma interação de muitas pessoas com muitos computadores simultaneamente. Configurar ambientes ubíquos, considerando a interação humana no espaço, envolve a criação de um sistema complexo, que pode ser visto pela relação de tríade das dimensões social, física e digital. A questão central desta tese teve como foco desenhar soluções usando IoT, considerando o social, que se mantém pelas interações das pessoas, o físico, constituído do biológico e das coisas que fazem parte da configuração do ambiente, e o digital, que se estabelece pela captura e processamento de dados dos componentes físicos do ambiente. Utilizamos a metodologia do Design Socialmente Consciente (DSC) como ferramenta para entender o problema e propor uma solução técnica para ser testada com as partes interessadas, em um ambiente. Nas propostas de artefatos computacionais, utilizamos a Internet of Human Things (IoHT), em que o Humano (H) constitui o principal componente de uma solução IoT para construir Sistemas Socioenativos, articulando as dimensões social, física e digital. Primeiramente a parceria com o Hospital Sobrapar, em Campinas, permitiu a realização de parte dos estudos. Iniciamos as atividades de investigação com o DSC como metodologia para desenhar uma solução que, a partir de uma narrativa inicial, recebeu incrementos e modificações, possibilitando que outras narrativas fossem propostas e experimentadas em oficinas com os participantes. Posteriormente, estendemos o Sistema Aquarela, desenvolvido para conectar pessoas na pandemia (2020 - 2021), utilizando os conceitos de Sistemas Socioenativos no ambiente escolar em Maringá, no Paraná. Uma pré-oficina foi estruturada com objetivo dos alunos aprenderem a reconhecer e expressar emoções, usando cores, com a implementação de um sistema IoHT, criando uma aula socioenativa. Com alunos e professora preparados, montamos um ambiente com uma luz para emoções e um quadro com as figuras de animações do sistema Aquarela. Além disso, nesta oficina, trouxemos os dados fisiológicos (batimentos cardíacos) para o sistema, como mais uma forma de interagir com o sistema Aquarela, mostrando os batimentos cardíacos de dois participantes, ao lado do seu avatar. O DSC foi utilizado para a criação de ambientes interativos contemporâneos, possibilitando a articulação entre o social, o físico e o digital. Ao instanciar o DSC, envolvemos as partes interessadas para organizar o sistema que iria afetar o ambiente físico e social delas. As interações sociais das partes interessadas que usariam o sistema, seriam levados ao digital como dados percebidos (capturados) no ambiente físico e após processamento retornariam para ações sobre eles. Propusemos uma categorização de objetos para composição de ambientes ubíquos, considerando as interações entre objetos na rede IoHT. Assim, contribuímos com o design de sistemas ubíquos e socienativos, que entende a IoT pela perspectiva da tríade social-físico-digital.

Medodologia

Design Socialmente Consciente.

Aplicação

Construção de ambientes interativos usando Internet of Human Things (IoHT)

Orientadora

Prof. Dr. Cecília Baranauskas