Defesa de Doutorado de Eliana Alves Moreira

Título do Trabalho
Sistemas Computacionais Tangíveis e o Design da Comunicação em Contextos Educacionais Inclusivos
Candidato(a)
Eliana Alves Moreira
Nível
Doutorado
Data
Add to Calender 2020-01-31 00:00:00 2020-01-31 00:00:00 Defesa de Doutorado de Eliana Alves Moreira Sistemas Computacionais Tangíveis e o Design da Comunicação em Contextos Educacionais Inclusivos Sala 85 IC 2 INSTITUTO DE COMPUTAÇÃO mauroesc@ic.unicamp.br America/Sao_Paulo public
Horário
14:00h
Local
Sala 85 IC 2
Orientador(a)
Maria Cecília Calani Baranauskas
Banca Examinadora

Titulares

Unidade/Instituição

Maria Cecília Calani Baranauskas

IC/UNICAMP

Thais Helena Chaves de Castro

IC/UFAM

Kamila Rios da Hora Rodrigues

DCC/USP

Maria Teresa Eglér Mantoan

FE/UNICAMP

Roberto Pereira

DInf/ UFPR

Suplentes

Unidade/Instituição

Islene Calciolari Garcia

IC/UNICAMP

Flávia Linhalis Arantes

NIED/UNICAMP

André Constantino da Silva

NIED/UNICAMP

Amanda Meincke Melo

CTA/Unipampa

Resumo

O meio de comunicação mais utilizado pelo ser humano ao longo de seu desenvolvimento natural é a linguagem oral. Dificuldades de comunicação por meio da fala, demandam alternativas de várias naturezas, incluindo artefatos tecnológicos. A Comunicação Alternativa e Aumentativa (CAA) é a denominação para um conjunto de ferramentas e estratégias que uma pessoa pode utilizar como um complemento e/ou substituição da fala, para compensar as dificuldades de expressão oral. Quando um aluno não fala ou seu interlocutor não entende o que ele quer comunicar, é necessária a utilização de alternativas comunicacionais, tais como a CAA, que possibilitem uma interação, no ambiente escolar e fora dele, sem barreiras. Além de conseguir se expressar por meio da fala, é importante que o estudante consiga exprimir seus estados afetivos, pois esses são considerados essenciais para a relação de ensino e aprendizagem.
Os “Grandes Desafios de Pesquisa em Interação Humano-Computador no Brasil” sugerem que tecnologias inovadoras sejam “utilizadas para a construção de sistemas que possam ser generalizados para múltiplos dispositivos e ao mesmo tempo especializados para os diferentes usuários com diferentes necessidades”. Tecnologias de Informação e Comunicação têm potencial para desempenhar um importante papel na promoção da inclusão, aprimorando a utilização dos materiais pedagógicos e acrescentando novos recursos no âmbito sócio-educacional. Contudo, as tecnologias de interação tangível têm sido ainda pouco utilizadas para suprir essas necessidades comunicacionais em ambientes inclusivos.
Esta tese propõe sistemas de comunicação voltados para ambientes educacionais inclusivos, explorando e reconceitualizando o uso de tecnologias contemporâneas (ex. Radio Frequency Identification, Bluetooth, Smartphones) para interação tangível nesses ambientes. O processo de pesquisa deste trabalho envolveu atividades baseadas em Oficinas Semioparticipativas com partes interessadas, em diversas situações de design, situadas em contexto real de escola inclusiva. Nosso objetivo foi investigar o potencial dessas tecnologias computacionais para o cenário da Comunicação (Alternativa e Aumentativa e Afetiva) e propor ambientes baseados em tais tecnologias (via dispositivos tangíveis e por toque, entre outros) que possibilitem a comunicação pelas pessoas e entre pessoas em espaços educativos inclusivos.
Considerando a relação intrínseca entre emoções e aprendizado, propusemos diferentes tipos de artefatos, que foram desenvolvidos e experimentados: Tan2Talk, SAMobile, SAMDesk, TangiSAM, CardSAM, SAMCurve, SAMLight. Tan2Talk é um ambiente tangível para apoio à comunicação alternativa e aumentativa, proposto como suplemento à comunicação de alunos que não se fazem entender pela fala, matriculados em escolas comuns (educação inclusiva). Os sistemas SAMobile e SAMDesk se utilizam de artefatos computacionais tangíveis (os quais denominamos TangiSAM e CardSAM) que possibilitam a autoexpressão de estados afetivos. Para compreender as experiências emocionais dos estudantes, desenvolvemos o SAMCurve, um artefato que possibilita a análise de mudanças nos estados afetivos do estudante ao longo do tempo e o SAMLight, que utiliza uma placa com LEDs como feedback visual do estado afetivo de diferentes grupos de estudantes.
Por meio do uso dos sistemas nos ambientes educacionais inclusivos, constatamos que os artefatos TangiSAM e CardSAM foram efetivos em proporcionar aos estudantes a expressão de seus estados afetivos, além de promover na escola, de maneira divertida e leve, o tema da reflexão sobre os estados afetivos nos alunos e na prática dos professores. A diversificação das plataformas para uso desses artefatos via SamDesk e SAMobile proporcionam adequação às situações de infraestrutura tecnológica das escolas. Os artefatos SAMCurve e SAMLight permitiram análise e conscientização dos professores e coordenação pedagógica sobre os estados afetivos dos estudantes. Resultados da aplicação do Tan2Talk apontaram que as crianças conseguiam se comunicar por meio dos artefatos do sistema, aumentando suas habilidades de comunicação via associação de ideias e interação social.
Os sistemas computacionais de interação tangível para apoio à comunicação alternativa, aumentativa e afetiva mostraram resultados positivos em termos de aceitação, motivação, divertimento e capacidade de comunicação entre os envolvidos, mostrando assim seu potencial para ser utilizado em espaços educativos.