Defesa de Mestrado de Anderson Coelho Weller

Título do Trabalho
InRob-UML – Um método para testes de Interoperabilidade e Robustez para sistemas embarcados de tempo real utilizando modelos UML.
Candidato(a)
Anderson Coelho Weller
Nível
Mestrado
Data
Add to Calender 2019-12-13 00:00:00 2019-12-13 00:00:00 Defesa de Mestrado de Anderson Coelho Weller InRob-UML – Um método para testes de Interoperabilidade e Robustez para sistemas embarcados de tempo real utilizando modelos UML. Sala 352 do IC 3,5 INSTITUTO DE COMPUTAÇÃO mauroesc@ic.unicamp.br America/Sao_Paulo public
Horário
10:00
Local
Sala 352 do IC 3,5
Orientador(a)
Eliane Martins
Banca Examinadora

* Titulares

Unidade/Instituição

Eliane Martins

IC/UNICAMP

Emilia Villani

ITA

Leonardo Montecchi

IC/UNICAMP

 

* Suplentes

Unidade/Instituição

Breno Bernard Nicolau de França

IC/UNICAMP

Benedito Massayuki Sakugawa

ANAC

Resumo

O processo de validação da interoperabilidade entre subsistemas de tempo real embarcados e a garantia de robustez do seu software são críticos para o bom funcionamento de um sistema. Mesmo que cada um dos módulos funcione corretamente de forma isolada, a interação entre eles pode gerar informações fora da especificação ou sofrer interferências do canal de comunicação, como a corrupção de dados ou a violação dos requisitos de tempo, principalmente se eles forem desenvolvidos por equipes diferentes, o que pode levar o sistema a uma situação catastrófica, gerando perdas financeiras ou de vidas. Em um trabalho prévio foi proposto o método para testes de interoperabilidade e robustez para sistemas embarcados de tempo real, InRob. Neste trabalho é proposta uma extensão do InRob que acrescenta, entre outros aspectos: i) o uso de modelos da UML (Unified Modeling Language), por ser amplamente utilizado tanto no meio acadêmico quanto comercial, para a geração de casos de teste baseados em modelos e ii) a introdução de um modelo do comportamento de um canal de comunicação falho entre dois subsistemas que devem interoperar. Esse comportamento do canal de comunicação foi adicionado à modelagem como uma entidade independente, que interliga os subsistemas em teste e interfere na troca de mensagens entre eles, afetando seus funcionamentos. Esse modelo representa o comportamento de um “Emulador de Defeitos” (FEM), e especifica as interferências que ele deve efetuar durante a aplicação dos testes. Com isso, a partir de um modelo de falhas que um canal de comunicação pode exercer na interação entre dois subsistemas, podemos selecionar testes que direcionem as ações do FEM na avaliação da interoperabilidade e robustez entre eles. O método foi aplicado a um sistema genérico de controle de uma cancela, que libera o acesso a um cruzamento ferroviário, e a um subsistema real de satélite científico desenvolvido pelo INPE, para captura e armazenamento de imagens.