Graduação

 

 

Ciência da Computação

Desenvolvimento de software
Oportunidade em novas áreas do conhecimento

Em 1969, a Unicamp criou seu curso de bacharelado em Ciência da Computação, sendo este o primeiro do gênero no Brasil. Desde então, a computação apresentou uma grande evolução, tornando-se comum o uso de sistemas computacionais nas mais diversas áreas de conhecimento como, por exemplo, na criação de sistemas de informação geográfica e sistemas de informação de biodiversidade, bioinformática, informática aplicada à educação, sistemas embarcados, tecnologias para a internet, entre outras.
Sendo assim, uma formação básica bem fundamentada é imprescindível para que o profissional seja capaz de tratar os desafios em qualquer um desses variados campos de atuação.

Mais que gostar de computadores
Neste cenário, verifica-se a demanda por profissionais capazes de projetar e implementar sistemas de informação eficientes que atendam às particularidades de cada aplicação. O perfil destes profissionais deve, portanto, incluir capacidade de trabalho em grupo, em geral, associada a atividades multi e interdisciplinares. Para preparar um profissional com atribuições tão amplas, o currículo do curso de Ciência da Computação proporciona ao aluno uma formação abrangente e bem fundamentada em todas as áreas da informática, desde a teoria da computação até a concepção e desenvolvimento de software para aplicações industriais e comerciais. Por causa de seu conteúdo curricular, um importante requisito exigido de quem deseja cursá-lo é aptidão para a área de ciências exatas. Gostar de passar horas na frente do computador não é suficiente para fazer do candidato um bom profissional.
Saber usar o computador como ferramenta é bem diferente de fazê-lo funcionar por meio de programas que precisam ser desenvolvidos. Para isso, é fundamental que o candidato identifique seu interesse em entender como o computador funciona.
Ministrado no período noturno, no Instituto de Computação, o curso é concluído em dez semestres. Compõem a grade curricular as disciplinas de economia e administração, física, matemática e as específicas de computação: linguagens de programação, sistemas operacionais, redes de computadores, computação gráfica, banco de dados, inteligência artificial, engenharia de software, arquitetura de computadores, entre outras. Ao conhecimento teórico é agregada uma dinâmica atividade prática. Em laboratórios dotados de equipamentos e programas avançados, o estudante tem a oportunidade de vivenciar a aplicação das disciplinas.
O estudante é incentivado a participar de atividades extracurriculares e multidisciplinares, dentre as quais se destaca um amplo programa de trabalhos de iniciação científica, em que o interessado pode pleitear bolsa e trabalhar em um projeto de pesquisa junto a um professor.

O profissional 

O profissional poderá atuar no projeto e desenvolvimento de produtos de software, essenciais para o processamento da informação ou utilizados na produção de aplicativos (tais como processadores de textos, planilhas eletrônicas e programas de multimídia), bem como em áreas cujo foco principal é a informática. Entre as empresas que contratam os profissionais formados no curso estão as de desenvolvimento de software, fabricação de computadores, grupos financeiros, empresas de consultoria, centros de pesquisa e desenvolvimento, universidades, estabelecimentos de ensino e serviços públicos.

 

Engenharia de Computação

Física, Matemática e raciocínio lógico
Não basta gostar de jogos eletrônicos e de navegar na internet

Além de gostar de jogos eletrônicos, de navegar na internet e de tudo que se relaciona com computadores, para ser bem sucedido no curso de Engenharia de Computação, o estudante precisa de raciocínio lógico, conhecimento de física e de matemática, dedicação em tempo integral e muita disposição para aprender. Sem se deixar levar pelos modismos tecnológicos, constantemente em mudança na área de computação, o curso propicia uma formação sólida e abrangente ao futuro engenheiro, tornando-o capaz de adaptar-se aos novos desenvolvimentos e tecnologias que surgirem em sua carreira profissional.

Embasamento e flexibilidade

Oferecido em parceria por duas unidades da Unicamp – a Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação e o Instituto de Computação – o curso de Engenharia de Computação é ministrado em período integral e pode ser concluído em dez semestres. Além de entrar em contato com disciplinas que apresentam os fundamentos da computação logo nos primeiros semestres, como programação, estruturas de dados e análise de algoritmos, o aluno deverá frequentar disciplinas básicas de engenharia durante os dois primeiros anos da graduação. Constam do currículo, por exemplo, quatro semestres de física e três semestres de cálculo. A partir do terceiro ano, projetos de sistemas integrados de hardware e software passam a fazer parte da grade curricular, acompanhados do embasamento teórico proporcionado por disciplinas como circuitos elétricos, projeto de hardware, engenharia de software, computação gráfica e inteligência artificial. Disciplinas de formação geral como ciências do ambiente, tópicos em humanidades, direito e economia integram o conjunto das disciplinas obrigatórias. Sendo a flexibilidade uma característica marcante do curso, as disciplinas obrigatórias podem ser complementadas com disciplinas eletivas que tratam de tópicos avançados em computação, como multimídia, internet ou processamento de imagens aplicado à medicina. Para consolidar sua formação acadêmica, o estudante pode participar de pesquisas supervisionadas por professores. Alunos que desenvolvem projetos de pesquisa têm a possibilidade de obter uma bolsa de iniciação científica.

As especializações
Ao final do quarto semestre do curso, o aluno de Engenharia de Computação deverá optar por uma área de especialização, escolhendo uma das habilitações: Sistemas de Computação ou Sistemas e Processos Industriais. A habilitação Sistemas de Computação é voltada para a área de software, com quase todas as disciplinas ministradas pelo Instituto de Computação. Prepara o profissional para atuar no projeto e desenvolvimento de sistemas integrados de informação, de computação de grande porte, de rede de computadores, de software básico e aplicações, enfim, em atividades específicas da indústria de informática e aplicações. A habilitação Sistemas e Processos Industriais dá ênfase maior à integração entre software e hardware, com a maioria das disciplinas ministrada na Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação. O profissional especializado em Sistemas e Processos Industriais pode trabalhar com a construção e a aplicação de sistemas computacionais em áreas diversas como telecomunicações, automação, engenharia biomédica, sistemas de energia elétrica e outras.

Informações sobre o Vestibular, acesse: http://www.comvest.unicamp.br/